quarta-feira, 13 de outubro de 2010

o resgate dos mineiros


Seguramente será tema para filmes e livros, mas o que fica disto tudo é a extraordinária capacidade do ser humano, em resistir e em resolver problemas e arranjar soluções aparentemente impossíveis.

Felizmente há notícias boas. E se, no dia de hoje, houve várias "fornadas" de 33 homens assassinados, estilhaçados por causa de bombas ou mortos de doenças e de fome ou pela guerra, pelo menos estes 33 deram um pontapé na morte. No dia 13 do 10 do 10, o que somado dá... 33.

5 comentários:

Virginia disse...

Deitei-me as 500 para ver em directo a saida do primeiro mineiro, como se fosse a chegada do Homem à Lua. É incareditável o que os Homens conseguem fazer, é dramático pensar como destroem com a mesma capacidade. Vejo as séries policiais e fico sempre com a sensação de que o mundo é realmente mau, há pessoas horríveis e vítimas indefesas em toda a parte, mas este exemplo, ainda que empolado pelos media, deixa-nos mais crentes no Homem e na solidariedade. Nisto os americanos e alemães são exímios.

Milene disse...

É de facto surrpreendente aquilo que o Homem é capaz de fazer e a coincidência de tudo isto acontecer nesta data, é extraordináio. Mas, e aproveitando para fazer algum humor negro despois destes meses de interminável agonia, não posso deixar de transcrever algo que li: "Ao contrário de nós, os mineiros chilenos estão metidos num buraco, do qual pelo menos sabem quando vão sair...)))

miguel disse...

Foi o evitar de uma tragédia ( quase ) anunciada; foi o profissionalismo de excelência de alguns; foi a mobilização de um povo; foi a cooperação internacional; foi a resistência heróica dos mineiros...mas aquilo eu me tocou mais foram aqueles abraços longos e sentidos entre os que esperavam e os que "renasceram" - não há mais belo que um abraço assim.

Mário disse...

Acabei por só ver pedaços, mas a imagem da subida da sonda, abrindo-se e saindo de lá um mineiro é muito forte.

Pois é, Miguel, há quanto tempo não damos um abraço a um amigo só por dar, sem ser para o felicitar ou para dar os pêsames?

miguel disse...

..mas mesmo um abraço de pêsames conforta; une; solidariza.