terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

os tiranos também se abatem

"A História me absolverá" - disse Fidel, em pleno julgamento, nos anos cinquenta, quando era ainda prisioneiro do ditador Fulgencio Batista.

Esta confiança total nos desígnios da História fê-lo, como em tantos outros casos, confundir idealismo e missão com ditadura de inspiração divina.

Tornou-se num ditador feroz, dinossáurico e obsceno. Tem sangue nas mãos e Cuba não é o paraíso dos "amanhãs que cantam", mesmo dando o desconto de um ignóbil embargo norte-americano. É um país paupérrimo, desigual, onde só não há SIDA (?!) porque um decreto governamental não permite (e os doentes de HIV estão em "sidários").

Hoje "desistiu", diz ele, da presidência. Desistiu... está mais morto do que vivo, e ainda quer criar a ilusão de que poderia continuar. Deixa o irmão, que tem tanto sangus e injustiça nas mãos como ele.

"A História o julgará!" - assim é que é a frase universal. Se o absolve ou não, não é a Fidel que compete dizer. Por mim, já tenho o veredicto, mas como não sou juíz nem sou a História, limito-me a expressar o meu enorme contentamento de cidadão do mundo, ao ver desaparecer de cena mais um torcionário e ditador.

11 comentários:

Anónimo disse...

Os teus ultimos 5 posts todos com 0
comentários.
Será problema de forma ou de conteúdo ?

manuel teixeira

Mário disse...

Meu Caro Manel
Não te sei responder, e a dizer a verdade, também não estou muito interessado em saber. Não por desprezo em relação aos meus hipotéticos leitores, mas por respeito. Quem quer, escreve, quem não quer, não escreve. Não contabilizo o que faço pelo número de comentários, até porque isso me deixa uma enorme liberdade para escrever o que me apetece e quando me apetece, sem ter que "governar pelos jornais".

Abraços e, pelos vistos, com o teu comentário desmentiste o que tu próprio tinhas escrito (provocação!!).

Anónimo disse...

Percebo, respeito, mas não estou necessàriamente de acordo.

Para mim 'blog' é plataforma de diálogo, não só (embora também) lugar para expressar opinião.
Òbviamente com a liberdade de escrever o que apetece, quando apetece.
Não havendo diálogo, concordância, discordância, confronto, whatever, e escrever para o éter da blogosfera ou para o umbigo não é exactamente o meu desporto favorito. Pode ser boa terapia, só que nunca fui grande fan do falar sózinho. Questão de personalidade.
Sempre gostei mais de falar com os outros do que falar de mim para mim. Sou bem mais chegado ao diálogo do que ao monólogo.

Como dizia o meu Pai,é da discussão que nasce a luz.

Abraço amigo do Manel Teixeira

Mário disse...

Manel
Acho que não me fiz compreender.
O dever de um blogmaster é publicar o que lhe apetece. É essa a liberdade e o prazer de blogar.
Depois, aparecem (ou não) pessoas que vêem, lêem e o impato que possa ter nelas ninguém sabe. Finalmente, entre elas algumas acham que podem opinar, comentar, aditar, contrariar, o que for. E mesmo assim, ainda é um número mais reduzido que o faz, dado que muitos evitam expor-se, mesmo apetecendo-lhes entrar na liça.
Por mim, nada posso fazer.

Aliás, os posts recentes até davam para debater: Kosovo, abusos sexuais na casa do Gaiato, Fidel Castro - queres assuntos mais polémicos?

O que não vou fazer é inventar nicknames para fingir que muita gente comenta. Posso até pensar que estão de acordo com o que escrevo e não precisam de dizer nada...
Abraços

Milene disse...

Para além desta "troca de galhardetes", que leio, respeito, mas não posso deixar de comentar, será que concordam que às vezes é mesmo nesta ausência de comentários que mais críticos somos sobre aquilo que escrevemos?
É decerto inquestionável,que tudo é escrito como e quando tão saborosamente nos apetece...!! Mas os comentários não deixam de ser um fio condutor em todo este processo. Já agora o tema era Fidel Castro, ...certo??? É que com tudo isto esquecemo-nos do essencial: será que os seus 50 anos de poder foram influenciados pelo facto de só ter sabido quem era o seu pai aos 17 anos?? (são traumas que marcam toda uma vida..., mas não a este ponto, creio eu!!!

Milene

Anónimo disse...

Mário,

Grosso modo até estou, na generalidade, de acordo contigo sobre, a generalidade, do que dizes.
Puseste no entanto o dedo na ferida quando dizes que 'os teus posts recentes são sobre assuntos polémicos'.

É esse justamente o ponto do meu 1º Comentário que aqui afixei:

SERÁ PROBLEMA DE FORMA OU DE CONTEÚDO?

Abraço amigo do Manel Teixeira

Mário disse...

Manel
Desculpa, mas não quero entrasr no que se possa pensarem ser picardias ou pingue-pongues.
Perguntas se é uma questão de forma ou de conteúdo - como não entendo o que nisso me poderia dizer respeito, presumo então que te referirás aos leitores, ou seja, à forma e ao conteúdo deles, o que não me parece muito cortês...

Se falas ou não sozinho, não sei, porque a blogosfera é assim: fala-se e podem existir cem mil ou nenhuma pessoa a responder, mesmo que estejam inúmeras a ver. Não sinto nisso qualquer problema.

Milene
O Fidel pode ter começado com boas intenções, mas acabou num selvático tirano e com as mãos sujas de sangue de inopcentes, que morreram ou estiveram presos por delitos de opinião. Se me perguntas se há alguma ideologia que o justifique (e que eu aceite), ou qual o limite de mortos para se passar o exame para tirano, dir-te-ei que não.

Anónimo disse...

Esclarecendo e encerrando o assunto:

Será problema da TUA forma ou do TEU conteúdo ?

MT

Mário disse...

Minha forma: 176 cm, 74 kg, pouco estilizado, ligeira barriguinha.
Meu conteúdo: o de qualquer mortal: sangue, suor, lágrimas, vísceras, cérebro e outras coisas que não vêm ao caso.

Eh, e obrigado pelos comentários. Pelo menos, quando alguém julgar as estatísticas, pode-se dizer que MT contribuíu em grande, embora tenha criado um paradoxo: ao escrever deixou de ter razão em que não havia comentários, pelo que não devia ter escrito. Mas se não escrevesse, teria razão porque não os haveria, e então deveria escrever. Paradoxal, é o que és, além de suavemente ininteligível.
Vivó Benfica e o resto é conversa da treta!

Anónimo disse...

A História me absolverá.

mt

Mário disse...

Manel
É o que se chama "encerrar com chave de ouro".
Ri-me a bom rir. Desopilante e divertido.
Agora se a História te condena a trabalhos forçados (como enviares mais uma entradita de Estímulos/Reacção para este blogue) ou não, o Altíssimo decidirá. E eu só tenho 1,76 m...
Abraços grandes