quarta-feira, 8 de abril de 2009

genéricos - a melhor opção!

Quero aqui deixar claro que, como médico, cidadão, cientista, académico e utente, sou completamente a favor do uso de genéricos, considerando que o Governo tem medo da Ordem dos Médicos e pretende guerrear a recém-eleita direcção da ANF; que os médicos são corporativistas, ignorantes e, em muitos casos, se estão nas tintas para os utentes e para o que eles gastam (duvido que saibam, sequer, o preço dos medicamentos); que são incoerentes, dado que no hospital, para doentes até mais graves, receitam segundo o princípio activo e não segundo o nome comercial (e nos centros de saúde e consultórios, não); e que subscrevo a proposta do CDS: ser genérico até prova em contrário, ou seja, o médico teria de explicitar que NÃO quer genérico, em vez de ser como é agora: ter de explicitar que quer genérico (no fundo, seria tal e qual a doação de órgãos).

A Ministra da Saúde, mais uma vez - depois de ter subscrito a vacinação contra o pneumococos, como pediatra da Sociedade de Pediatria, e tendo ido dizer na Assembleia que não a receitaria enquanto pediatra (?!) -, vem defender o corporativismo. O mesmo que impede a legalização da Osteopatia, da Medicina Tradicional Chinesa e de outras medicinas complementares. Aliás, se a Drª Ana Jorge acha que os genéricos são diferentes do original (a única diferença é que passaram os anos de exclusivo da patente), então demita o Infarmed e faça queixa de todos os outros países da UE que usam cada vez mais genéricos, porque estão a quebrar a Lei!

Já sem falar nas almoçaradas e jantaradas, congressos e coisas mais que as firmas oferecem: ainda há dias tive um senhor a dizer-me, cara a cara: "senhor doutor, vamos levá-lo a Madrid!" - levou uma volta, porque se quiser ir a Madrid, vou. Por mim. O dinheiro que gastariam em voos não-pex, hotel de 5 estrelas e "jantar e espectáculo de gala" podem-no oferecer a instituições. Se querem divulgar os produtos, que os façam por documentos. Ou como aqueles que vêm dizer: "o senhor doutor tem andado esquecido de nós!".

Não sei se "é disto que o meu povo gosta", mas "é disto que o meu povo come"!

Apostila 1: parabéns ao Porto - que grande jogo! Que garra!
Apostila 2: Parabéns, Eduardo, meu querido filho, pelos teus sete anos. E mais não digo porque a comoção soçobra-me o teclado!!!

5 comentários:

Ana Paula Branco disse...

PALMAS!!!
BIS!!!
BRAVO!!!
GOSTEI!!!
Este é o Dr. Mário que eu quero ver mais vezes! Sem papas na língua,sem paninhos quentes, de mangas arregaçadas...
E, agora para o Pai Mário e para o filho EDUARDO, um enorme beijinho de PARABÉNS!
A sempre por perto
Ana Paula

Pat disse...

Um grande beijinho ao Pai e um ainda maior ao Mini da prima "velha". PARABÉNS!!!

Anónimo disse...

Felicito-o efusivamente por esta declaração pública!
Helena Freitas
Universidade de Coimbra

Anónimo disse...

Concordo inteiramente com esta posição. Acho que os utentes é que estão primeiro, nem lobbies dos médicos e labs , nem lobbies das farmácias. Todos têm a ganhar.

PS1: Parabéns ao Mini lindo! Que continue a ser o "sorriso" e as "covinhas" do Pai.

PS2: Realmente o FCP jogou um jogo do outro mundo. Não sei se conseguirá repetir a proeza, mas aquilo foi de antologia.

Bjos

Virgínia

Mário disse...

Obrigado! O Eduardo teve um jantar excelente, comigo e a Catarina, etodos os manos e os sobrinhos.

Voltando à Ministra, não entendo como pode dizer que "a segurança dos doentes está primeiro", quando ela (o Ministério) é que licencia os medicamentos através do Infarmed - então o Infarmed licencia produtos não seguros? Coisa estranha...