sábado, 7 de agosto de 2010

perplexidade

Ao viajar de metro, reparei que estava muita gente na paragem, à espera do combóio, e quando se abriram as portas, sairam e entraram pessoas. A minha atenção foi, no entanto, para as que, tendo chegado antes, algumas mesmo antes de mim, continuaram na estação, não entrando para o metro (que até tinha lugares sentados).

Desde pessoas sós a grupos... o que teriam ficado a fazer e porquê se não entraram no combóio. Não consegui descortinar nenhuma resposta para a minha pergunta...

4 comentários:

zé disse...

Na estação de Entre-campos, por exemplo, aprende-se imenso com as paredes! A princípio, quem chega àquela estação pela primeira vez, até pensa que aquilo está tudo vandalizado (como eu pensei quando a vi remodelada). No entanto são citações de Pessoa e dos Lusíadas, penso.

Virginia disse...

Talvez estivessem a espera de outro ou nao?? Bom motivo para escreveres um romance tipo Paul Auster!!!

Filipe Snr disse...

.
Talvez à espera de Godot...

Anónimo disse...

Podiam querer ir para um destino onde o seu comboio não chegasse. Na linha amarela, por exemplo, num dos sentidos, há comboios que terminam o percurso no Campo Grande e outros seguem até Odivelas (costumam alternar).
Parabéns pelo que escreve, pelas suas reflexões e pelo seu trabalho.
SC