quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

A César o que é de César, a Deus o que é de Deus


Quando é que a Igreja Católica distinguirá o acto civil de casamento, do sacramento do matrimónio?

PS: A igreja diz que não dá orientações de voto. E orientações sexuais? (ai se as paredes dos seminários falassem...)

4 comentários:

Virginia disse...

Foi por a Igreja ser como foi que não me casei pela dita cuja. Sempre me irritou aquela imposição de não me poder divorciar, um dia se porventura tivesse de o fazer...
Libertar-me da Igreja foi libertar-me de convenções sociais, mais do que deixar de acreditar num Deus qualquer. Continuo a achar que a Igreja é um PODER , apenas, que se serve das pessoas para atingir os seus fins, como se de política se tratasse. É claro que há a doutrina social da Ingreja, a so-called Caridade, o que fazem pelos mais desfavorecidos....mas com o dinheiro todo de Fátima, poder-se-ia fazer muito mais ainda...
Quanto aos casamentos, é curioso que nunca percebi para que é que os homosexuais e lésbicas querem casar, a não ser que seja para adopatrem filhos, pois não vejo mais vantagem nenhuma e ficam tão amarrados como os hetero. Visão bihilista? Talvez....

Virginia disse...

corrijo as gralhas:
Igreja
adopatrem
nihilista

( oh meu Deus, tanto erro numa prof.!!!)

zé disse...

Nem mais! Desta vez sou eu quem diz: Apoio incondicional à Virginia! Outra vez a igreja e as sua mer...

P.S. Está a ser difícil sair-lhe dos dedos "adoptarem":)

Virginia disse...

Adoptarem....´carago!!