quarta-feira, 17 de outubro de 2007

pica, pica, picapau...



O inefável Betencourt Picanço invadiu ontem, mais uma vez, as televisões e rádios, entrando-nos pela sala ou no carro "sem pedir licença".
Desculpem o azedume, mas embora não tenha nenhum ódio de estimação, sempre que o vejo não posso deixar de pensar duas coisas:

1. como é que o discurso de uma pessoa pode não mudar durante várias décadas;

2. como é que se pode manter no lugar as mesmas décadas, se continua a exigir o mesmo - ou seja, mostra a sua ineficácia total. Diz sempre mal das políticas sectoriais, está sempre contra o governo (qualquer que ele seja), mas pelos vistos, a sua actuação como dirigente sindical é um fracasso - em tanto tempo, se fosse bom sindicalista, já deveria ter conseguido alguma coisa. Mas é ele próprio a dizer que não.

Assim vai o movimento sindical português...

1 comentário:

pedro sanchez disse...

Já se devia ter retirado ha muito tempo pois deixou de defender os trabalhadores para se tornar ridículo com a sua inadequada linguagem de dinossauro ultrapassado.
Sempre pedi aos meus que não me deixassem falar mais quando já não não soubesse o que estava a dizer.
Infelizmente não é o caso do Picanço, pois não deve ouvir ningém ou não tem quem lhe chame à razão.