quinta-feira, 18 de outubro de 2007

abaixo a pobreza... e quem a apoiar...



Confesso que gostei de ver, ontem, o nosso Presidente preocupado com a luta contra a pobreza, com as desigualdades gritantes entre pobres e ricos, e com a aplicação dos fundos comunitários em betão e não em projectos de índole social.

Mas se Sócrates ficou com as orelhas a arder, há uma pessoa, que foi primeiro-ministro durante dez anos, justamente quando a torneira comunitária debitava vários milhões de contos por dia, que deve ter ficado "com tudo a arder".

4 comentários:

Mário disse...

Retirei uma frase, no final desta entrada, porque a reli e achei excessiva e desnecessária:
era esta: "Recomendo-lhe uma pomada daquelas dos rabinhos de bebés, para aplicar nas "partes maís sensíveis".

pedro sanchez disse...

Pois pois pesa-lhe a consciência da forma como governou para agora estar a querer limpar a imagem.
Enfim teremos que aturar e alimentar esta pocilga de políticos? Por quanto tempo mais?
pp.

Anónimo disse...

Já agora, em nome da correcção o que lá estava antes era "nas partes" e não "nas partes mais sensíveis". Não é a mesma coisa.

Mário disse...

Anónimo: fiz copy-paste do que retirei. Deve haver qualquer equívoco, mas não da minha parte (seja a mais ou a menos sensível)...

Pepê: temos que os aturar enquanto eles forem eleitos... e enquanto não se apresentarem alternativas ou enquanto as alternativas forem cilindradas pelos mesmos de sempre...