domingo, 14 de março de 2010

o professor


Conheci Marcelo Rebelo de Sousa aos 9 anos de idade, no Liceu Pedro Nunes. Sempre me dei muito bem com ele, dado que era colega e amigo do irmão, e há alguns anos Marcelo falou-me porque tinha feito, nessa altura (anos sessenta) um filme sobre "Um dia na escola", em que o irmão, uns amigos e eu aparecíamos, protagonizando o que os estudantes faziam na altura. Infelizmente não estava em Portugal e não pude rever o filme.

Marcelo sempre foi brilhante, em termos académicos - já no 1º ano do antigo liceu, quase que era "obrigatório" os alunso saberem quem era Marcelo, o estudante exemplar, nota 20, uma sumidade. Na Faculdade de Direito foi o mesmo. E ainda tem a vantagem de ser um fast-sleeper que lhe permite ter dias acordado de quase 20 horas.

Tenho encontrado Marcelo de vez em quando, e sempre lhe mostro o meu respeito e amizade. A última vez que o vi pessoalmente foi em 2005, quando de um Congresso que organizei: ele aceitou falar sobre "Ser avô" e fez uma intervenção muito assertiva e divertida. Não me esqueço, também, do apoio que me deu no "caso das meningites", nem da maneira como falou do assunto - muito melhor e mais esclarecedor do que a larga maioria dos profissionais e do ministro da altura -, com a verdade dos factos e com coragem.

Isto para dizer que não há outros factores, que não os políticos, que justifiquem a minha perplexidade perante o que o "fenómeno Marcelo" faz na sociedade portuguesa. Sejam jornalistas, sejam políticos, parece que Marcelo é o oráculo de Delfos, e os sinais que envia são aguardados com uma expectativa quase angustiante.

Respeito muito Marcelo e gosto dele. Mas, amizade à parte, não consigo descortinar nele um político de primeira água, muito menos que justifique pôr o país em suspense desta maneira. Não tenho boas memórias da passagem de Marcelo como presidente do PSD, nem como candidato à Câmara de Lisboa. Todo o percurso político, em cargos, foi vulgar. E não me esqueço de algumas arrogâncias, como dar nota ao jornalista Neves de Sousa, "pela sua vida" - acho que nem Deus se atrevia a tanto.

E, quando se fala de mentir - assunto tão em voga -, e de como Marcelo afirmou (ouvi eu): "um mentiroso não pode ser primeiro-ministro", valeria a pena relembrar o "episódio da vichyssoise", em que Marcelo ludribiou Paulo Portas, mentindo-lhe descaradamente sobre um jantar em Belém com Soares que nunca ocorreu, e adicionando até a cereja em cima do bolo: uma ementa (fictícia) em que havia uma vichyssoise. Paulo Portas publicou, foi desmentido pela Presidência, ficou furibundo e vingou-se quando da formação da nova-AD (vingança fria como a vichyssoise). Aliás, em questão de mentiras valerá abrir uma COmissão de Inquérito para avaliar a mentira de Durão Barroso à AR sobre as armas de destruição massiça no Iraque.

O PSD tem de eleger um líder forte, que possa, em futuras eleições, participar numa luta política em que estarão Portas, Louçã e o sucessor de Sócrates (e o "velho" Jerónimo, claro). Pedro Passos de Coelho é esse líder, e eu, não sendo do PSD, desejo no entanto para o meu país um líder social-democrata aguerrido e que possa ser um bom PM, porque desejo alternância democrática. Rangel tem defeitos de carácter, de postura e um vácuo de propostas, a meu ver, e representa muito daquilo que não quero ser (aquilo de dizer que a política não deve incluir ética não me sai da cabeça - porque, se sim, então como condena o PM por essa falta de ética que seria "mentir"?). E como faz aquele discurso no Parlamento Europeu em que diz que "Portugal não é um Estado de Direito" (sic). Aguiar Branco é uma pessoa fraca, um ex-minsitro da Justiça que aceita violar o segredo de justiça, e que tem alguma esperteza saloia, veja-se a postura no último debate da SIC Notícias (em que só disse banalidades e nenhuma medida prática: rigor, transparência, valores...), para lá de fazer perguntas ao outro entrevistado, como se fosse juiz e o outro réu.

No meio disto, parte do povo PSD clama por Marcelo. Na minha humilde opinião, e com todo o respeito por Marcelo e pelas suas qualidades, não precisamos de um Dom Sebastião, mas sim de um Dom Dinis ou de um Mestre de Aviz.

10 comentários:

Virginia disse...

Concordo em tudo o que dizes sobre Marcelo.
O PS tem pena de não ter um Marcelo, Compreendo. Por mim dispenso-o, sobretudo porque ele asfixia os candidatos a presidentes do partido com as suas aparições nos media, a falar como se não pertencesse ao partido, mas em nome do partido. É uma contradição em si mesmo.

Quanto a Rangel, discordo em tudo do que dizes. Não é por gostar dele , por ser do Porto ou por ter sido o melhor prof do meu filho e de lhe ter dado um 16 logo no primeiro exame que ele fez na Católica. Tão só e apenas porque ele é mesmo BOM!
É bom intelectualmente - mete o Socrates num chinelo - tem entusiasmo e "adrenalina" e tem coragem, como dizia o seu grande apoiante e teu comparsa F. Seara. Porque falou primeiro no país, depois no partido e só no fim dele próprio, o que não aconteceu com os outros dois.

Quanto a Passos Coelho, pode ser e é apoiado por todos os PSs, dada a nulidade pomposa que representa.
Também o é na SIC N onde paradoxalmente poem um Ricardo Costa - meio irmão do futuro Presidente do PS, a comentar o Congresso, como se ele pudesse alguma vez ser isento e interessante e os seus comentários ou perguntas imparciais. Uma vergonha. Descarada.

Anónimo disse...

Não me sai da cabeça ouvir o Rangel no P. Europeu dizer que em Portugal há censura e falta de liberdade de expressão e votar CONTRA, nesse mesmo Parlamento, uma moção de desagrado onde se criticava Berlusconni pelo mesmo motivo! Pois é,ele é camarada.Que isenção! Que credibilidade!

M: Eugénia

Virginia disse...

Porque será que os apoiantes de Sócrates apoiam sempre Passos Coelho e adoram pregar contra Rangel?
Há nisso um estratagema que se nota à distância, é transparente. O único candidato que fez e fará frente a Sócrates é sem dúvida o mais carismático e independente do partido: Rangel. Se querem uma oposição inteligente, dinâmica e responsável , sem medo do poder que Sócrates tem exercido sobre as mentes menos esclarecidas, só se pode votar Rangel. Para já, ele não tem nada a perder, adora estar no PE e fará grande trabalho, visto que é muito trabalhador e competente.
Cavaco, no seu tempo, ganhou no PSD por poucos votos e foi o que se viu.
Passos Coelho nunca será carismático, vai ser mais um boneco nas mãos dos media, igual a Sócrates em moldes mais finos. É outro arrivista, com ambições pessoais desde os cueiros....e tem muitos esqueletos no armário, piores do que essas atitudes que se apontam a Rangel.

Filipe Snr disse...

Pois eu não apoio nenhum deles. Nem teria de apoiar já que não sou do PPD-PSD nem conto vir a ser. Como observador interessado da causa nacional e do que acontece na política (que, infelizmente, na maioria dos casos vem estragar o progresso deste País) acho que os três 'artistas' não têm qualquer perfil para 1º Ministro. Mas também não sou apologista do 'sebastianismo' que clama pelo MRS. Enquanto não houver escola política e alunos desinteressados nos seus poderes pessoais estaremos irremediávelmente 'entregues aos bichos'.

Virginia disse...

Pergunto-me se o Sócrates, quando foi eleito com maioria absoluta, apresentava melhor perfil que qualquer destes três do PSD. NAO!!
Já se sabiam muitas das falcatruas que o indivíduo tinha feito durante o periodo em que foi Ministro. No entanto porque era o representante do PS e porque o Sampaio resolveu elege-lo por pura vingança contra o PSD, os PSs todos concordaram com a sua eleição e ainda muitos mais que não sabiam quem o homem era.
EU não votei por ele, de modo que falo à vontade.
Há 5 anos que sito dura e agora, sinceramente, desejo que dure o tempo que for necessário paea ele ver o sarilho, ablada, a canalhice em que nos meteu a todos. Vamos sofrer....mas ele tb vai!

Anónimo disse...

Snr Filipe: concordo com o que escreveu. O resto, com este tipo de comentários apetece desertar. Que pessoa mais trauliteira. Mas olhe que no sul também há gente sem medo de martelinhos de são joão.

Paulo Gomes

Virginia disse...

Olhe, Sr. Paulo Gomes,

É-se trauliteiro quando se defende aquilo em que se acredita?
Pois fique sabendo que a trauliteira, neste caso e para sua surpresa, se calhar, é irmã do blogger Mário e do Sr Filipe Snr.
Se quiserem até podem apagar o que escrevi ou mandar-me um email a pedir silêncio. Isto é um blogue livre...ou há lei da rolha?

Tenho tanta pena dos algarvios.....sobretudo no Verão quando exploram os turistas até dizer basta!

Rui disse...

Só espero que se o Senhor Rangel ganhe as eleições não faça igual ou pior que o Senhor Sócrates. Porque na verdade ainda não o vi fazer nada pelo seu pais, além de falar mal dele lá fora...Uns tirinhos nos pés ás vezes pode aleijar. O PSD também têm feito tanto pelo país, o último até fugiu para a comissão europeia e o Senhor Rangel vêm fugido de lá. Isto à cada um...

Quanto ao Algarve, mas porque é que vêm? Ali em Espanha é tudo mais barato, e muito melhor. Vêm cá para falar mal, como já ouvi muitas vezes, mais vale não virem. Se os turistas são explorados no verão então quem é explorado no resto do ano? O problema é que o Algarve é uma das regiões com mais desempregados, e o dinheirinho que os turistas cá deixam, ou melhor, não fica cá nenhum vai todo embora.

É a mesma pena que eu tenho dos Nortenhos, tadinhos...

Rui Domingos

Anónimo disse...

Rui. Não vale a pena. Acham-se superiores e vêm à nossa terra fartar vilanagem. E ainda reclamam. O Bimbo da Costa deu-lhes volta à cabeçá e acham que ainda há mouros para conquistar.

Joana Ventura, Faro e com muito gosto

Virginia disse...

O pais precisa é de regionalização....para cada um gerir a sua.....sem estar à espera das migalhas de Lisboa.

Sou de Lisboa, vivi lá 30 anos, outros tantos fora dele, passo ferias na Pria da Luz, que é linda, vejo o país todos os anos...tb já fui à Madeira tres anos. Há coisas boas e más.....não é preciso estarmos aqui a competir em pobreza.
TrabalhEI 37 anos em escolas publicas - do Estado, pobrezinhas, sem aquecimento, nem tecnologias e fiz o melhor que podia, acho que o fiz bem.
Lisboa e Porto são igualmente ricas em pessoas e recursos turisticos. E o P da C não é para aqui chamado.

Quanto ao Rangel...oxalá ganhe...se não ganhar, aturamosos S mais 4 anAMEN1 os....temos o governo que merecemos ( eu não!)