terça-feira, 9 de março de 2010

um bom anúncio

Este anúncio, que tem como objectivo promover o uso do cinto de segurança, consegue ter um enorme impacte, mesmo sem sangue, cadáveres ou ferros calcinados.

O debate sobre o tipo de imagens a mostrar, com vista à promoção de comportamentos promotores de saúde, é antigo e ainda inconclusivo. Conhecemos as imagens de pulmões cancerosos em maços de tabaco - uma ideia que quase vingou na UE -, e mesmo aqui ao lado, em Espanha, houve campanhas de prevenção rodoviária com exposição de carros acidentados ainda ensanguentados.

Pessoalmente, sempre preferi a imagem sugestiva à imagem explícita. No fundo, mal comparado, o erotismo à pornografia. A APSI fez, em 1995, uma campanha para a utilização do cinto de segurança no banco de trás, usando um leitor de cassettes, colorido (dos que se compravam para crianças), e usando as teclas de play, fast forward e stop, juntamente com som de motor, para mostrar o arranque do carro e a aceleração. Depois o stop e o eject, e a cassette saía disparada e partia o vidro da câmara. O anúncio ganhou um Prémio em Cannes. A exibição de sangue choca, mas obnubila, branqueia e causa repúdio.

Parabéns a esta campanha!

8 comentários:

Milene disse...

OUTSTANDING....!!! O Anúncio e a Música escolhida: já estava toda arrepiada mesmo antes das imagens finais. Let's "Embrace Life"...!

catuxa disse...

Diz mais do que qualquer legenda, mostra mais do que qualquer filmagem real, emociona e toca mais do que qualquer discurso. Simplesmente fabuloso!

Anónimo disse...

Arrepiante. Acho que nunca mais vou andar de carro sem o cinto, seja no banco da frente, seja atrás.

joaopedrosantos disse...

Está absolutamente fabuloso. Muito emocionante. Acaba bem e até se sente um alívio especial.

sofia costa disse...

Muito bom mesmo! É assim que se fazem boas campanhas. Eu sou paranoica com os cintos de segurança e com as cadeirinhas dos bebés. A minha filha tem um cadeira em cada carro (dos pais, dos avós, da tia) e eu volta e meio gosto de verificar se as cadeiras estão bem presas. Mas é incrível a quantidade de crianças que ainda andam à solta nos carros ou ao colo de alguém... Ando muito de autocarro e vejo todos os dias crianças a serem transportadas nessas condições, uma vergonha!

Filipe Snr disse...

Fabuloso filme. Porque é que não passa nas nossas Tvs-?

Virginia disse...

Espantoso,mostra como a publicidade pode ser persuasiva sem ser invasiva.

Os meus filho fizeram n viagens de 600km sem qualquer cadeirinha ou cintos de segurança. Eu viajava sempre atrás com eles, aninhados contra mim e felizmente o meu marido guiava maravilhosamente, nunca enjoaram, nem tivémos qualquer acidente. Hoje exige-se muito em termos de segurança, mas há aspectos descurados e esse que a Sofia Costa aponta é um deles. Nos autocarros, as crianças vão à balda, ando muitas vezes com o meu neto e eu propria tenho dificuldade em me segurar, quanto mais ele! Nas camionetas dos colégios deviam usar cinto de segurança, isso até era bom para os condutores, que tem de aturar os meninos aos saltos.

Mas é preciso dinheiro para ter tanta coisas, Sofia, onde é que se vai buscar?? Não há subsídios para nada disso e o IVA é altissimo.

sofia costa disse...

Bem, eu falava das crianças à solta nos carros dos pais. Do autocarro dá para ver melhor porque vejo de cima! Mas no autocarro também é uma vergonha não haver cintos para segurar as crianças e é realmente um perigo e vejo mães muito atrapalhadas todos os dias a tentar segurar os filhos nos autocarros. Os condutores são doidos e fazem travagens do além, eu própria tenho dificuldade em me segurar... Quanto às carrinhas das escolas penso que já é obrigatório terem cintos.
O dinheiro!! Esse é outro problema. Há cadeiras para todos os preços. Umas melhores, mais confortáveis e mais seguras do que outras mas o que é realmente chocante e inacreditável é o IVA das cadeiras (que são obrigatórias) ser de 20% e não serem dedutíveis no IRS!