segunda-feira, 25 de agosto de 2008

20 anos!

Vinte anos, já!

Nesse dia tinha de fazer uma prova de esforço mas o técnico, que morava ao pé do Chiado, não apareceu.

Ouvi as notícias na TSF.

Mas o Chiado está cada vez mais in, e gosto muito de tomar o metro e percorrer a Rua Garrett, depois de cumprimentar o Pessoa, e lançar os olhos aos bolos da Brasileira. Comprar o jornal, descer a rua e comprar uma rosa encarnada na florista que fica do lado direito.

E depois mergulhar na FNAC, sem antes passar pela Bertrand ou dar uma saltada à Loja da Catarina Portas.

Viva o Chiado!

5 comentários:

Anónimo disse...

Tomar o metro, cumprimentar o Pessoa e passar pela FNAC e/ou Bertrand, são passos que se compreendem sem qualquer comentário adicional. Quanto à rosa vermelha, cor da paixão e do amor, terá por certo uma destinatária, para além do seu gosto pessoal por flores!! Nicht wach? O importante é estarmos sempre apaixonados por alguém ou por algo.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Mário disse...

É mesmo.
Mas pessoalmente (sem me referir ao Pessoa, himself, acho que oferecer flores é dos gestos mais bonitos que há. Desinteressado, esteticamente feliz, simples.
Adoro oferecer flores. Desde o acto da escolha ao prazer da oferta.
É bom...

Mário disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Lembro-me do sabor dos batidos de morango da Ferrari - nas raras idas com a nossa Mãe à Baixa ( a Ferrari era muito cara, de modo que íamos ao Expresso no Rossio, onde os batidos de iogurte e banana davam para dois).
Lembro-me das compras para o meu enxoval (!!!) nos Armazéns do Chiado, das idas ao Grandella e as compras pre-escolares na Papelaria Fernandes.
Daqui a pouco estou a recordar tudo como se tivesse sido belo e o Chiado fosse o paraíso.....:)

Mas não me importava de lá voltar se o Pendular tivesse alguma paragem directa daqui.:)

Virgínia