quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Há frases que nos marcam - 1

Há pessoas que marcam, há situações que marcam, e há também frases que marcam.

Não que sejam frases feitas ou lugares comuns, ou algumas que, até, à custa de serem repetidas passam por verdadeiras quando nunca foram ditas, como "Play it again, Sam", no filme Casablanca.

No entanto, tenho andado às voltas com uma frase de Rimbaud que creio que baliza o que damos e recebemos, o que exigem de nós e o que reservamos para nós próprios, o que sacrificamos em prol dos outros e o que desleixamos, por vezes, na maternage que não fazemos a nós mesmos.

Aqui fica a frase, que me marca: "Par délicatesse, J’ai perdu ma vie!.

Encontra-se no poema: Chanson de la Plus Haute Tour, de Arthur Rimbaud

2 comentários:

manuel teixeira disse...

Just for the record.

É de somenos, mas a frase da Ingrid Bergman no Casablanca não é 'play it again Sam' mas sim 'play it Sam'.

Mário disse...

Exactamente. A frase que a Ingrid Bergman diz foi essa: "Play it, Sam", mas que foi deturpada e ficou nos livros e nos dizeres como "play it again, Sam". O again não fazia parte.

A adição pode ter sido para reforçar o facto (visível no filme, mas desconhecido se a frase é dita ao calhas) de o Sam já a ter tocado para eles, em Paris, mas pode ter sido também porque dá um ar mais durão e mais western, porventura mais Bogart.

Confesso que não sei quem foi o primeiro a fazer a corruptela, mas vou tentar saber.