terça-feira, 18 de novembro de 2008

o melhor manual sobre o mundo da criança


Calvin e Hobbes, uma das melhores bandas desenhadas de sempre, foi criada, escrita e ilustrada por Bill Watterson, precisamente num dia 18 de Novembro, há 23 anos.

Durou dez anos, e o seu autor nunca permitiu que as imagens fossem usadas para fins comerciais, embora se possam ver muitas T-shirts e outros objectos de consumo com as inconfundíveis figuras.

O nome de Calvin foi inspirado em Calvino, reformador do século XVI, que defendia que o Homem tem uma tendência natural para fazer mal aos outros. Hobbes recebeu o nome de Thomas Hobbes, o filósofo inglês do século XVII, autor da frase Homini lupus homini ("o homem é o lobo do homem").

Calvin tem 6 anos, odeia a escola, fantasia e sonha, protesta e exige, mas acaba por ter de aceitar algumas coisas, revelando inocência e ausência de malícia. Provoca, experimenta o risco até ao limite, adora televisão e tem os medos normais de um miúdo desta idade. A sua visão do mundo dos adultos é um tratado de psicologia infantil.

Hobbes, por seu lado, é um tigre sábio e sardónico, que consegue saltar de peluche para animal real, desafiador, conhecedor dos comportamentos, reflexivo. Quase como um alter ego de Calvin, mas que não o é porque não resiste, bastas vezes, a alinhar com o seu amigo humano.

As fantasias e divagações de Calvin são a maneira como as crianças desta idade enfrentam os desafios do crescimento e o conhecimento do mundo e da realidade externa.

Pessoalmente, creio ser quase impossível entender o mundo das crianças desta idade sem a leitura aprofundada de Calvin & Hobbes. Tem-me sido muito útil, pessoal e profissionalmente. Recomendo a todos os que se interessam por crianças ou que tenham que lidar com estes "pequeninos monstros". Assim compreenderemos melhor as suas fragilidades, medos, sinais, raciocínios e argumentos. E poderemos amá-los ainda mais.

3 comentários:

Virginia disse...

Brilhante, Mário.


Lembras-te do Butchu???:))))

Nunca perco a leitura do Calvin no Publico e tenho alguns albuns em inglês.

A ilustração que escolheste é comovente. Faz-me lembrar outra personagem que adoro: Linus e o seu cobertor....

Adorei.

Huckleberry Friend disse...

São geniais... Bill Waterson deixou de fazer novas tiras, os jornais continuam a publicar repetições, mas nem por isso é menos delicioso!

rui disse...

Há muitos anos que os livros de Calvin e Hobbes do "Bill" Watterson param na minha mesa de cabeceira.

Dependendo das épocas leio 1, 2 3 às vezes 4 histórias e inevitavelmente o apagar da luz é selado com um sorriso.

Por coincidência ou não, desde que tenho uns destes “queridos monstros” em casa estas leituras passaram a ser raras.

Vou voltar a pôr estas bíblias na mesinha de cabeceira.

(A propósito de mesa de cabeceira, a do Calvin é sempre um elemento especial nos quadradinhos de Watterson)