terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

amanhã vai chover...

Durante muito tempo, pensei que aquela história de prever o tempo era "coisa de velhos". E que não passava de blá-blá-blá, ou de coincidências. Às vezes, esta conversa chega mesmo a ser de desmancha-prazeres, tão bonito está o dia em que "eles" dizem isso!
Pois então já dei em velho, porque consigo antever o dia de chuva, mesmo com um dia de sol, e acerto mais do que o boletim meteorológico ou o windguru. Como gosto de perceber o que se passa, e não acredito em parapsicologia, descobri a resposta: a alta pressão que condiciona o bom tempo, carrega nas articulações e impede a expansão do líquido que existe dentro delas e que está aumentado nas artrites e reumáticos. Quando a pressão atmosférica começa a descer, geralmente cerca de um a dois dias antes de começar o chuvisco, essa força é menor (são baixas pressões) e o líquido expande-se, pressionando por dentro os nervos... e aí começam as dores.

E não é que os velhos têm mesmo razão?

NOTA: (não sou eu na fotografia, mas o esgar é parecido!)

7 comentários:

Elisete disse...

E foi por causa do líquido que teve que ser operado ao pé ou por correr descalço? A propósito, acho que devia processar o cameraman que estava sempre a filmar os seus pés! As melhoras!
PS Acho que vai mesmo chover amanhã e nos próximos dias, o bom tempo acabou por agora.

Mário disse...

Nem uma nem outra, mas ainda estou meio zonzo da anestesia.
Os meus ossos dizem que vai chover! Espero que se enganem, porque o dia está lindo!

Filipe Snr disse...

Parece que acertaste!

Vou promover um 'abaixo-assinado' para te nomearem Director do INMG...

A foto não é tua, mas está parecida...

Virginia disse...

Penso que o nosso Pai nos deixou um legado : o amor à metereologia. Tb sou maníaca do tempo e quando digo vai chover, chove mesmo, os meus netos perguntam-me: como é que a Vovo sabe?

As nuvens só choram quando eu quero!!

Carmo disse...

Agora que o célebre Antímio de Azevedo se reformou, podia fazer uma rúbrica na televisão sobre a previsão do tempo, explicando em promenor como aparece o anti-ciclone dos Açores através das articulações e da expansão dos líquidos.

Mário disse...

Esse é um estudo que só poderá ser feito "in loco", pelo que, se me subsidiar umas viagens aos Açores, talvez possa dar uma resposta cabal e conclusiva!

Carmo disse...

Logo vi!