terça-feira, 4 de maio de 2010

e mais um momento de narcisismo...

E saíu também na semana passada, "A Praça", um romance, com a chancela da Babel (via Arcádia).
Espero que gostem.

27 comentários:

Anónimo disse...

Uma história muito bonita be intensa, que se lê num sôfrego, com personagens muito curiosas e interessantes!

Parabéns também por este "filho"!

Catarina

Pi disse...

Vou querer ler! :D

Beijinhos tio.

miguel disse...

Compra garantida. Muitos parabéns.Se é ficcção, parece-me ser um sonho concretizado.

Abraços fortes

zé disse...

Também vou dar uma volta à Praça!
Um grande abraço a seu autor!

IsabelCunha disse...

Vou já comprar! Sou uper fã! bjs

Elisete disse...

Ontem foi um dia muito, muito difícil para mim (e para o Arnaldo também): foi o desmoronar definitivo de um sonho de 5 anos. Quer tenha sido uma simples coincidência, quer tenha sido obra de Deus, dos astros, do diabo, do que quiser, o certo é que o facto de o ter encontrado ontem em especial, (quando só me cruzei consigo à porta da escola uma outra única vez) e de me ter dado aquele envelope, fez com que eu hoje me tenha conseguido levantar, tenha conseguido levar o meu filho à escola e esteja agora calmamente a trabalhar. Isto porque ontem à noite li o livro outra vez (gostei ainda mais) o que fez com que não me deixasse afundar em nenhuma depressão. Obrigada por se ter lembrado de nós!
Quanto ao “Dormir Tranquilo”, vamos comprar de certeza. Não é que algum dia tivéssemos tido problemas com o Miguel mas também soubemos escolher o "nosso" pediatra.
Susete, o Pai Mário vai estar na Feira do Livro dia 9/5 às 18h (descobri por conta própria portanto posso divulgar).

Carmo disse...

Querida Elisete...ontem encontrei este humilde escritor no alto das escadas do colégio, e neste preciso momento só consigo mexer as pontas dos dedos, tenho dores nas pernas, arranhões nos braços e as mãos repletas de picos das urtigas e das roseiras, tudo isto porque fez um comentário sarcástico ao jardim.
Mas tenho de admitir, o jardim ficou está um brinco e a fotografia da capa é espectacular!

Su disse...

Vou ler, com toda a certeza e já estou cheia de curiosidade! Acredito que vá ser um grande prazer, como são todas as consultas/conversas que vamos tendo ao longo do ano!
Quanto à data e hora em que vai estar na feira do Livro, será que foi já com o propósito de descer rapidamente até ao Marquês para festejar??? :)

Virginia disse...

Já li...mas não dou opinião para não parecer que estou aqui para louvar ou denegrir o autor, que , por acaso ( feliz) é meu irmão.

A Praça é um microcosmos...a fotografia da capa uma ideia maravilhosa, que não me importava tivesse sido minha, mas ninguém me pediu que concebesse a capa do livro :((
Posto isto, acho que é boa altura de deixarem de adular o meu irmão mais novo, porque no Domingo ele vai inchar tanto , tanto, com os elogios, os autógrafos e o resto que se sabe (mas que uma tripeira não divulga), que tenho receio lhe faça mal.
Quero ter mano por muitos anos, quero ter autor por mais alguns, quero poemas, blogues, e-mails, telefonemas e encontros e não quero partilhar tudo com milhões de fãs que por aqui abundam. Não é justo....

Virgínia ( roida de ciúmes, numa de Calimero)

Sérgio disse...

Parabéns Mário!
Em duplicado!
O "Dormir Tranquilo" tinha-me dado muito jeito há uns anos atrás.
Os primeiros três anos do meu filho foram uma festa! Ele é da geração do Aero Om...
Um abraço e sucesso nas vendas.
Sérgio

Filipe Snr disse...

Também já tinha lido... Dados os laços de irmandade, não comentyo o texto. Falo sim da capa que acho está espectacular...

Mário disse...

Muito obrigado a todos pelos comentários.
Espero que gostem. Houve umas mudanças em relação ao texto original.
A capa, modéstia à parte, é da minha autoria (excepto o lettering). A fotografia foi tirada de minha casa, no final de Abril. Fica muito melhor no original, e o "planeta Praça" prolonga-se pela lombada e resto do livro.

Mário disse...

Elisete
Quando me cruzei consigo também achei que havia algo de "destino", dado que raramente vou à escola e creio que, mesmo antes, nunca a tinha encontrado à saída. Ainda bem que foi útil. Mas força no astral, que a vida é o melhor lugar para se viver!

Carmo
Reconhecerá que o jardim estava uma autêntica desgraça, e depois de um fim-de-semana a arrancar ervas daninhas e a cortar heras e plantar flores, fiquei mais exigente com o jardim alheio!!! Irei em breve ver essas melhorias!

Mário disse...

Su
O lançamento será a outra hora, porque às 18h está "todo o mundo" a ver TV. Pensávamos que o jogo era ás 20, como os de domingo passado.

Quanto a comemorar, só quando for "matematicamente" impossível não perdermos.

Su disse...

Então são boas notícias, essa mudança de horário! Queriamos muito passar na feira para o cumprimentar, mas a hora era imprópria para cardíacos.
Quando à festa, vai ter mesmo de acontecer! Ou corro o risco de começar a viver uma realidade paralela a partir das 20h de domingo...

Saudações clubísticas,
Susana (de Araújo)

Virginia disse...

Vèem como tenho razão??

Respondeu às fãs, mas não se dignou dedicar uma linha a família!! Oh, professor Cordeiro, desça do pedestal, que ainda me lembro de si quando usava fraldas e de ursinho na mão!

:)))

Mário disse...

Ah! Shame on me!
Inclino-me com uma vénia perante a minha Mana, ainda por cima de Linguísticas - é verdade que me tem apoiado muito, assim como o meu Mano e Padrinho. Muitos obrigados!

Quanto a descer do pedestal, não posso porque o meu está ao nível do chão. E quanto ao resto, por favor, não revele às minhas "fãs" que eu ainda uso fralda e ursinho na mão...

Mário disse...

E um agradecimento especial à Catarina, que me deu força para publicar este Livro. Quando o escrevi não acreditava que pudesse ver a luz do dia - mas aqui está.
Um beijo muito especial, como ela.

Anónimo disse...

Não chega de narcisismo? A patologia como sabe é grave. Talvez fosse tempo de deixar a fralda e o ursinho....

Virginia disse...

Olhe, anónimo, tomáramos nós manter o espírito de criança até ao último dia...é a característica maravilhosa deste pediatra, trabalhar e agir como um adulto com a capacidade de compreender a psicologia da criança.

A fralda e o ursinho fazem parte ( ou deviam fazê-lo) de todos nós. Felizes os que conservam esta faceta.

Pena não compreender a ironia do meu post.

Mário disse...

Virgínia: não vale a pena dar importância a estes "anónimos" (ou porventura "anónima") que nunca assumem uma identidade.

Anónimo(a): sabe que um bocadinho de narcisismo, de quando em quando, é muito bom para a saúde mental. O que é muito mau, para o próprio e para os outros, é a perturbação narcísica da personalidade de que muita gente sofre. Quanto a factores regressivos, ainda bem que os temos: quem pensa que poderemos sobreviver sem eles é megalómano e omnipotente, no fundo para esconder a si próprio fragilidades, insegurança e, na maioria das vezes, uma existência ridícula e sem objectivos (pergunte a qualquer psicólogo ou psiquiatra).

Anónimo disse...

Engraçado que quando recebe um comentário menos idolatrado, o pedi que parece que queria ser psi, fique tão fragilizado....será que a montra tem um sustento tão frágil?! Daí a necessidade do ursinho, protege dos maus!
Mas vou-me portar bem nos comentários, caso contrário a masturbação narcísica ainda constipa alguém....

Maria João Reino disse...

Não percebo como cobardolas que nem assinam o próprio nome entram num blogue simplesmente para chatear o próximo. Blogue esse que é um espaço de amigos, onde esses mesmos amigos gostam de trocar impressões. Mas claro, aparece sempre uma mente retorcida só para dar cabo de um espaço que não lhe diz nada. É só mesmo para chatear. Quanto ao pedi querer ser psi, é muito mais do que isso, pois esse mesmo pediatra é sobretudo uma pessoa que houve os outros sem querer nada em troca, muito menos precisa de publicidade aos seus actos pois valem por si e a quem interessa. Não precisa vir um frustrado sem nome para aqui chatear um espaço que a si pelos vistos nada lhe diz. Ah e não deve saber o que é ter amigos, pois se o soubesse saberia que os amigos partilham também entre si os seus próprios sucessos e falam sobre os mesmos . Quanto mais não seja porque gostamos de ouvir dos nossos amigos elogios!
Dr Mário, sabemos nós seus pacientes, amigos... que não precisa de actos para se valorizar pois como amigo que é de todos os seus e de todos os seus pacientes que o conhecem, basta só isso!

Abraços

Mário disse...

Maria João: obrigado, mas não gaste energia com esse "anónimo".
Não vale a pena. deixe-o "masturbar-se" em público, que parece ser do que gosta.

Não vale mesmo a pena e ele/ela sabe-o bem, desde mesmo de outros blogues passados. E, pelo menos, eu escrevi o livro. Não me estou a vangloriar do que não fiz. e assinei-o, não escrevi com pseudónimo ou no anonimato.

Não é por acaso que os Lusíadas, depois de tantos Cantos, Estrofes e Versos, terminam com a palavra "inveja"...

miguel disse...

Caríssimo anónimo ( cá para mim, conhece-me):

O Mário é, como sabe, Pediatra, conferencista,professor, autor de várias obras e em vários domínios, cria e dinamiza associações, intervêm naquilo que entende dever intervir ( nomeadamente na área da saúde pública, de que é professor e especialista) revela e expõe múltiplos outros interesses mas , na relação que tenho com ele , tudo isto me é relativamente secundário.

Sou amigo dele, porque, na esfera privada, e ao contrário de outros, o entusiasmo por ele revelado no debate de ideias e de pontos de vista e a própria "estética" utilizada na comunicação não se diferenciam em nada da maneira como age e reage no domínio público...facto que revela paixão antes de revelar ambição.

Privilegia a amizade,antes de tudo, sem que nessa atitude eu lhe "tope" o mais pequeno indício de interesseirismo ou oportunismo.O facto de ser meu amigo é bem a prova do que acabo de dizer e estou convicto que não não o bajulo..de modo nenhum; não é, de minha natureza, bajular seja quem fôr.

Terá fragilidades, o que, aliás, vem acrescer mérito ao mérito de ter o percurso que tem tido - feito de exposição; projectos; lutas ;sucessos e insucessos. Acho que o protagonismo, encara-o mais como missão do que como ambição pessoal.

É relativamente fácil, por razões várias, "cortar" com ele, reconheço. Tem o hábito de dizer o que pensa, e nem tudo aquilo que pensa será, concerteza, aquilo que eu penso.Di-lo " sem papas na língua", essa é a virtude e esse é o defeito.

Quanto ao mais o Mário está no pleno direito de procurar a realização e de exercitar a partilha nas múltiplas formas de comunicação que o ser humano inventou e com as quais expressa a sua própria humanidade.Se é Picasso ou Borges o mercado o dirá. E isso que interessa?

Narcicista; talvez, um pouco, não sei...mas sei também que sabe dar espaço aos outros, delegar competências; ouvir;valorizar o colectivo, empenhar-se nas causas, procurar respostas; reflectir, enfi, o seu tempo.

E, caro anónimo, não o acho cobardolas nem nada disso mas honestamente não concebo esta "coisa" do anonimato. E se me conhece ( eu acho que sim ) gostaria de falar consigo sobre estes e outros assuntos.

um abraço

Miguel Leal

Anónimo disse...

E de que serve ter uma ideia (ou várias) se não for para a partilhar?
Será isso narcisismo? Não creio.
Mas se for por narcisismo, bem, somos humanos, gostamos do contacto e do apreço. Tomara eu ter uma ideia assim e concretizá-la - a vontade de comunicar e de partilhar -, lá está. 'Perturbações de Contacto' é que não...

Fiquei curiosa da 'sua praça'.

Saúde!:o)

Amélia do Benjamim

Mário disse...

A sessão será às 16h (se chover teremos que ir pedir abrigo ao Paulo Teixeira Pinto...).

Miguel: diz-se que entre Amigos não há agradecimentos, mas apesar de ser teu amigo, e muito, tenho de agradecer.