segunda-feira, 17 de maio de 2010

A Feira do Livro

A Feira do Livro é um local de culto, mesmo que se diga (e até possa ser verdade, para alguns) que os livros são mais baratos nas grandes superfícies ou na FNAC.

Gosto de lá ir e passear, e gosto de levar os meus filhos a passear, vendo livros, folheando livros, ensinando a respeitar os livros.

Estivemos lá na sexta-feira, a ameaçar chuva, mas o gozo foi grande. Entretanto, com o (excelente) pretexto da chuva, do Benfica e do Papa, a Feira vai prolongar-se até domingo próximo - um autêntico bónus para quem ainda não foi ou para quem quer lá voltar, agora que os dias vão estar solarengos e as noites mais cálidas.

E não é todos os dias que se encontram policiais a 1€, os sete volumes do "Em busca do tempo perdido" a 2€ cada (novos) ou outras pechinchas assim. Para lá dos livros novos e dos descontos de 25% para grupos de 4 livros, na Leya.

12 comentários:

Virginia disse...

Também adorava a Feira do Livro em Lisboa, quando era na avenida e podiamos ir lá quase todos os dias. Andava no Instituto alemão na sampaio Pina, a dois passos e passar por lá era um prazer. Lembro-me de livros da penguin a 25 tostões e Pearl Bucks e Livros do Brasil ao preço da chuva, já velhotes.
Hoje em dia vou à feira, mas é raro comptrar muito. Compro dois ou três livros de Arte - no ano passado foi o do Nadir e outro sobre expressionismo, mas em geral, já não me interessa encher a casa de livros e gosto mais de ler em inglês. Este ano queria comprar alguma poesia, tenho poucos.

Ainda não começou a do Porto, é na avenida dos Aliados que é um sítio muito bonito e bem iluminado, no ano passado tirei lá fotos giras.

Os meus filhos adoravam ir quando era na rotunda da Boavista, ainda me lembro deles sentados na relva junto à estatua a lerem os seus livrinhos novos. Saudades!

Susete disse...

Para quem trabalha com livros este espaço é excelente. E muito importante para os adultos poderem comprar aqueles livros que são mais baratos na feira e para que as crianças tenham mais um meio de contacto com os livros, além das bibliotecas, claro.

A minha filha vai lá todos os anos desde que nasceu. Nestes últimos anos têm direito a escolher dois ou três para trazer para casa, sendo baptizados como os livros que comprámos na Feira do Livro.
Eu também já lá fui à hora do almoço. Aproveitei para comprar o do Dr. Mário. Só me falta o autografo... pode ser que ele não se importe e numa conversa de pais no St. Maria me dê esse prazer :)

Virgínia (desculpe a intimidade), este ano a feira no Porto vai ser na Rotunda da Boavista, de 1 a 20 de Junho: http://feiradolivrodoporto.pt/

Boas compras e boas leituras.
Susete

sofia wahnon disse...

Esta é a melhor notícia em dias... somos fãs da FL e o meu filho é também dos que se senta logo na relva sem cerimónias para iniciar a leitura dos livros novos, é tão bom! E sim, é muito positivo que a Feira continue a dar lugar aos livros "mais antigos" (que por vezes não são tão antigos assim...), não repetindo o modelo que actualmente apenas nos permite comprar os livros mais recentes ou os mais vendáveis. Quando começamos a subir a Feira, gostamos também de ir em busca de "tesouros perdidos e esquecidos" ;)

Teresa disse...

Também tenho saudades da Feira do Livro da Av. da Liberdade, perto do consultório do Pai. Olhando para a minha biblioteca ainda aqui vejo alguns dos livros comprados nessa época. Ainda bem que ainda há crianças que se sentam na relva a ler ou como os meus netos que entram na FNAC e se sentam no chão agarrados a um livro ! Pena é, eles (livros) serem cada vez mais caros!

Teresa disse...

Também me lembro com saudades da Feira do Livro na Av. da Liberdade, junto ao consultório do Pai.Ao olhar para a minha biblioteca, ainda aqui vejo alguns dos livros que comprei nessa altura.Ainda bem que ainda há crianças que se sentam na relva a ler ou como os meus netos que quando entram na FNAC se sentam no chão agarrados a um livro !É pena os livros serem cada vez mais caros ! Podiam ser menos sofisticados e mais em conta,sobretudo os infantis.

Milene disse...

Também por lá passei, em família, com amigos, e tão sómente Eu e Eu, num final de tarde de um dia de semana, apenas para ver o movimento, viver e beber a paisagem à medida que descia o Parque Eduardo VII. Comprando livros ou não, com alguns autógrafos ou não, com sol, chuva, ou vento, mais uma vez valeu a pena, como também valeu a pena terem-na prolongado até dia 23, pois só assim o meu filho terá a possibilidade de não perder este ano a Feira do Livro...

marta paixao disse...

Como diz a Susete, para quem trabalha com livros, como é também o meu caso, a Feira é um lugar mítico. Mas não o é só para nós, que lidamos com livros no dia-a-dia, é-o para todos os que gostam de ler, que tratam o livro com respeito, com carinho. Por isso e tendo em conta a notícia do prolongamento do evento,tomo a liberdade de fazer aqui um apelo e convidar todos a vir à feira. O tempo está maravilhoso e a Feira está cheia de surpresas para todos. Os fins-de-tarde, com estas temperaturas de verão, são deliciosos. Apareçam! Os livros estão à vossa espera!!!

Virginia disse...

Afinal a do Porto só começa no dia 1 de Junho devido ao prorrogamento do prazo da de Lx. E não é na Rotunda, mas nos Aliados, o que tem pros e contras. É mais aberto e cenicamente perfeito, mas mais ventoso e por vezes triste. De qualquer modo é melhor do que o Pavilhão do Palácio, onde se morria assado, era tão cosy que ficava atafulhado.
Não há sítios ideais, bom é ver livros e poder abri-los, cheirá-los e pôr no seu lugar outra vez. Não gosto de comprar á maluca....

Mário disse...

Marta e Susete: não sabia que trabalhavam com livros!

Teresa: tem razão. Os lirvos são de crianças, mas os preços já entraram na adultícia. E não se encontram em saldo, como o que acontece com os outros.

Milene: também gosto de, de vez em quando, ir sozinho, para me demorar o tempo que quero em cada pavilhão e espiolhar bem as pechinchas.

Sofia: a Feira, no fim de contas, é mais do que o somatório dos stands e dos livros. Pena é que a parte da restauração, que há 3 ou 4 anos estava bem fornecida, esteja limitada a meia dúzia de barracas de cachorros, farturas e pouco mais. Isto é ainda mais caricato quando a Feira, agora, abre às 12h30m e se prolonga até tarde.

Mário disse...

Virgínia: espero que o São Pedro não pregue a partida habitual de Lisboa: tomar um diurético e verter águas em cima dos livros...

sofia wahnon disse...

Dr. Mário, não reparou?! Este ano, a novidade na restauração da FL, é o belo (belíssimo) quiosque dos cupcakes. Andei céptica durante as duas primeiras idas à Feira, mas à 3ª não consegui resistir-lhes e... não estão nada mal, são mesmo saborosos (passo a publicidade). De cupcake na mão, à medida que se avança no passeio e nos livro, é do melhor!! Tem que experimentar ;-)

sofia wahnon disse...

ps: os livros para crianças não são menos do que os dos adultos e, acontece-me, gostar muitas vezes mais daqueles do que destes, confesso... É bom estar a par dos livros do dia. Chegam a estar a 50%do pvp, realmente vantajoso, sobretudo para quem compra muitos.