terça-feira, 25 de maio de 2010

parabéns, Lisboa, Helena Roseta e Miguel Sousa Tavares

O Parlamento revogou hoje o decreto-lei que permitiu o prolongamento da concessão, sem concurso, do terminal de contentores de Alcântara à Liscont.


Crédito imagem: img.olhares.com

4 comentários:

miguel disse...

O que eu quero é um terminal de contentores moderno, dinâmico e organizado em Lisboa, para ver se temos um porto de jeito e o rentabilizamos.

Estou-me ( sempre estive ) lixando para o concurso!

p.s.- às vezes sou magnânime !

Filipe Snr disse...

Finalmente! Oxalá a Mota-Engil agora não faça qualquer tramóia que force a inversão desta decisão.

sofia costa disse...

Queria informar que hoje é dia "momentos wook". Todos os livros com 20% de desconto em www.wook.pt

Anónimo disse...

Calma que o projecto-lei do PSD que propõe a revogação do diploma ainda não foi votado, mas apenas aprovado em comissão. E embora seja injusto e contrário às leis da contratação pública, e aos princípios da transparência e da concorrência, o facto é que o Estdao, no auge da sua omnipotência e irresponsabilidade, aprovou em 2008 um diploma que permitia prolongar por um período de 27 anos, por ajuste directo e sem cncurso público, a concessão do terminal de contentores. E a Liscont criou uma expectativa perfeitamente legal em relação a isso, tendo já investido milhões em obras já a decorrerem. Se a revogação do decreto for aprovada, quem pagará a indeminzação à Liscont pelos prejuízos e danos que terá que suportar?
E é assim que se vive neste belo país à beira-mar plantado!

Catarina