quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

desperta a dor

Quem me dera não estar sujeito a esta ditadura. Poder deitar-me à hora que me apetecesse, sem ter de dar justificações à minha própria consciência e aos meus bioritmos de melatonina.

Quem me dera não ter horas para acordar, ou acordar por acordar, tranquilamente, sem fazer a mínima ideia de que horas eram.

Mas não. Ele está aí, para relembrar a existência do Tempo, que é como quem diz, a nossa condição de mortais. Cada minuto que passa é um minuto que passou... dores que despertam em cada manhã.

PS. a hora marcada na fotografia, NÃO é infelizmente a hora em que o meu berra... pelo menos pelo nosso fuso horário...

2 comentários:

leonor disse...

So do I!
E até ao fim de semana o meu despertador humano que dá pelo nome de madalena, faz com que eu não possa deleitar-me por mais alguns minutos no meu antro de preguiça!

Virginia disse...

Deixem lá que quando tiverem a minha vetusta idade- a da aposentação - podem dar um suspiro de alívio, travar todos despertadores, fechar as persianas até baixo, viver a noite até às 5 da manhã, escrever emails a horas impróprias, ler e ouvir musica quando os outros ressonam...e dormir quando o sol já anda alto.
Benefícios do envelhecimento...que redunda em preguiça e dolce farniente. Não digo mais para não fazer inveja :)))