sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

efeitos do champagne?


Hoje tive um sonho. E pensei que o mundo se tinha tornado num gigantesco cacho de amoras silvestres, umas mais ácidas, outas mais saborosas; as primeiras menos agradáveis ao paladar, mas as segundas manchando tudo e transformando a boca de quem as come numa boca a comer também.

Afinal, para grande desilusão minha, limitei-me a sonhar com a condição humana...

Fotografia: MC

9 comentários:

Anónimo disse...

Só por curiosidade! O texto tb é da autoria do fotógrafo?

Mário disse...

Anónimo: obrigado pelo comentário. De facto, é. A foto e o texto são meus.

Só por curiosidade: porque perguntou?

Virginia disse...

A foto é de fazer água na boca...o pesadelo um pouco melodramático, mas tão real.Acontece-me ter pesadelos assim e acordar aflita.
Não vejo onde está a dúvida, texto que não é citação é da autoria do bloguista ou estou enganada?

Bjo

Anónimo disse...

Perguntei, simplesmente por... curiosidade. A beleza de ambos está patente!

Milene disse...

Concordo, a beleza está patente em ambos mas "Aquela Fotografia....!" Mesmo sem champagne, leva-nos a dar a volta ao Mundo com ou sem amoras, ainda que silvestres. Está deslumbrante. Haja champagne!!!!

Mário disse...

As amoras, suculentas, estavam num descampado perto de Torres Vedras, no sopé da Serra do Socorro, onde andei a passear a pé em Agosto.

Será pela simplicidade, a um tempo gostosa e paradoxalmente sofisticada, das amoras da silva, que o nome Silva é o mais comum em Portugal?

Carmo disse...

Vê... anda a provocar quem está sossegado e depois tem sonhos pouco simpáticos. É o que dá!

Não era muito melhor se não houvesse nem uma amora ácida e se fossem todas suculentas?
Sonho interessante o seu!

Virginia disse...

Na variedade é que está o prazer. Ainda bem que há acidez e doçura....até em nós próprios. Quantas vezes somos ácidos para os mais queridos, quando deveríamos ser doces e compreensivos?
Mea culpa....:)

Carmo disse...

São mesmo irmãos...e com uma capacidade de resposta!

Concordo,é bom que haja variedade, mas a acidez passo, nem a dos outros nem a minha. Agora doçura e compreensão, agradeço!

Se é tão fácil viver bem e em paz porquê dificultar?

É isso que tento fazer todos os dias da minha vida. Viver em paz comigo e com os outros.

É por isso que acho a acidez um verdadeiro pesadelo. Vade retro...