domingo, 26 de julho de 2009

Divagações de férias - 11



Arcádia

Arcádia, país imaginário
De poetas, sonhadores
Idealistas
Arcádia da paz e das mil cores
De um romântico pardal num campanário.

Arcádia dos simples e artistas
Do passado guardadores
Do calendário
Arcádia, paraíso de conquistas
Onde não há nem senhores
Nem mandatários.

5 comentários:

Anónimo disse...

Não, mano, a felicidade não tem fim....tristeza , sim!

Os teus poemas são maravilhosose cada vez que os leio, me convenço mais de que a simplicidade é que tricota as palavras e a obra sai bela.

Continua.

V.

Anónimo disse...

Que tirou a foto? Aonde?

Posso pintá-la?

V.

Filipe Snr disse...

Os teus versos estão refinando cada vez mais e, com toda a franqueza, deixam os teus romances a milhas de distância, na qualidade e nos sentimentos. Contínua assim que irás longe (já estás um pouco de nós, comuns mortais, que não temos
nem espírito de prosadores nem poetas).

miguel disse...

Próximo da Utopia. É certo que sem computadores e internet esta Arcádia Sedutora, escrita e pintada, não chegaria assim tão rápido de Cezaredas até Lisboa, passando, julgo, por Boston, assim , enquanto o diabo esfrega um olho.

Ainda hoje foi lançada a 1ª pedra de uma fábrica da Embraer ( aviões brasileiros ) em Évora. É da articulação milimetrica entre IeD e a simplicidade do campo que novas Árcadias podem medrar por aí.

Prazer em ter conhecido o Filipe SNR . Falta conhcer a Virgínia e não sei se mais alguém.

Mário disse...

Virgínia: a imagem é da internet, mas tenho algumas parecidas.

Phil: acho que vou melhorando em ambas as coisas: tenho dois novos romances para te mostrar: "O Diàrio do André" e "O Blogue da Praça Pasta". Dir-me-ás depois a tua opinião.

Miguel: respondi à Utopia na entrada anterior. Tenho há dois anos uma Utopia em fase de acabamento, dentro deste Livro sobre a Grécia. Deste-me um estímulo para o terminar.

Abraços a todos e obrigado pelo estímulo