quinta-feira, 26 de novembro de 2009

mais um a contribuir para a desinformação

O presidente do Colégio de Pediatria da Ordem dos Médicos disse, esta quinta-feira, que os especialistas estão divididos relativamente à vacinação das crianças contra a gripe A, acrescentando que, na sua opinião, seria preferível que as crianças não recebessem a vacina e defende que existe uma melhor imunidade com a doença natural.
José Manuel Lopes dos Santos confia nas autoridades de Saúde, que defendem a vacinação para todas as crianças, mas considera que os pais devem ter o direito de preferir que as crianças tenham a doença.

Esta é uma peça espantosa do meu colega Presidente (bem reveladora do que é a Ordem dos Médicos). Em primeiro lugar, quando investido do cargo de "Presidente" não deveria falar em nome individual mas sim expressar uma posição oficial.

Em segundo, qualquer estudante de Medicina sabe que a doença natural dá imunidade mais forte do que a vacina correspondente... só que com os perigos que se conhecem e que a vacina evita. Se esta "máxima" fosse aplicada, então não se tratariam quaisquer doenças infecciosas, e os sobreviventes seriam uns autênticos "touros" - o pior era os que morreriam ou ficariam com handicaps, mas isso não parece preocupar muito o Presidente.

Finalmente, declara confiar nas autoridades de saúde (então porque não na decisão de vacinar?) e põe como contraponto a isto os pais poderem decidir (ignorando que sempre foi uma decisão dos pais, dado que não nenhuma vacina é obrigatória...).

Os pais que tenham ouvido o presidente Lopes dos Santos devem ter ficado bastante mais baralhados... eu, por acaso, fiquei mais esclarecido sobre diversas coisas...

8 comentários:

Marta Chorão de Carvalho disse...

Baralhados, assustados, preocupados...enfim. Agora já está.

Mário disse...

É, Marta.
A Medicina pode fazer grandes coisas mas também pode dar estes espectáculos.
O que não entendo é como se pode ter ideias diferentes de coisas factuais... ainda se fossem opinativas...

Cat disse...

Realmente...
Tudo isto só serve para deixar nos deixar, a nós pais, ainda mais receosos!
Cá em casa, a minha filha (com 19 meses) foi hoje vacinada. Apesar de tudo, seguimos a opinião do nosso pediatra. Afinal, no meio de toda esta informação que nos atinge constantemente, temos que confiar em alguém!
Só me surpreendeu o facto de ser necessário uma segunda dose (já marcada para Janeiro)!!São novas indicações?

Filipe Snr disse...

Para já não é a Medicina que dá espectáculo. São sim, alguns que estão dentro da esfera da Medicina e que se arrogam no direito de propalarem as suas ideias - algumas completamente erróneas - quanto mais não seja para se autopromoveram. E esquecem-se de primeiro pesar as ideias e de fazer apelo ao bom senso (que provávelmente não têm...).

Aqueles a quem a Medicina mais deve nunca vieram a terreiro autopropangadiar-se. Estiveram sim 'puxando pela massa cinzenta', em hospitais, consultórios, laboratórios, etc., para tentarem chegar 'mais longe'. E nunca foram exigir dividendos ou solicitar benesses e condecorações.

Não esqueço o provérbio àrabe 'Os cães ladram e a caravana passa...'.

Mário disse...

Cat - a segunda dose ainda se justifica porque não há dados que garantam que uma só chega (o que já acontece para os maiores de 10 anos). A Pandemrix é mais imunigénica do que as outras, pelo que é possível que uma venha a ser suficiente. Mas por via das dúvidas...

Ricardo disse...

Não há dados que garantam que uma dose chega, tal como não há dados acerca da segurança da vacina... Não é verdade sr. pseudo-doutor?

Mário disse...

Ricardo. Os dados que garantem a eficácia de uma dose só, depois dos 10 anos de idade, foram anunciados pela Agência europeia do Medicamento, pelo CDC e pelas farmacêuticas que fabricam a vacina. Se não lhe chgega, faça as suas próprias experiências...

Quanto ao "pseudo-doutor", não sei o que quer dizer. Sou licenciado em Medicina, especializado em Pediatria e doutorado em Pediatria, e ainda sou professor de Saúde Pública.
Se não fosse "doutor" (inclusivamente por extenso) e me vangloriasse disso, deveria estar na prisão, o que lhe posso assegurar que não estou.
Quanto a si, sinceramente, não sei sei se me escreve de sua casa ou da prisão...

Ricardo disse...

Foram anunciados, pois! Não me referia a isso... Apenas disse o que você disse aqui "Cat - a segunda dose ainda se justifica porque não há dados que garantam que uma só chega (o que já acontece para os maiores de 10 anos)". Disse e acrescentei que para além de não haver dados se uma dose chega ou não (para as crianças), não há dados também acerca da segurança da vacina. E perguntei-lhe se não seria verdade.