quinta-feira, 19 de novembro de 2009

a "ministra" da Finlândia...

Mesmo antes de se iniciar o Programa de Vacinação contra a Gripe A, já circulava na Internet um vídeo de uma tal ex-Ministra da Saúde da Finlândia, denunciando várias conspirações e maroscas que, resumidamente, davam a vacina contra a Gripe A como um produto feito pelos americanos, destinado a extinguir a população de várias zonas do Globo.

O vídeo circulou e provavelmente muitos dos leitores contribuiram para que ele inundasse as caixas de correio electrónico. Todavia, provavelmente poucos se deram ao trabalho de questionar tamanho disparate.
Pois a senhora Rauni Kilde era médica e directora-geral da saúde quando, em 1986 (há mais de vinte anos), teve um acidente de viação e ficou, digamos... com uma "diminuição acentuada da sua lucidez". Por essa razão, foi declarada inapta. Passou, contudo, a intitular-se "ex-ministra", apesar de nunca o ter sido, e a ser uma entusiasta da ovnilogia, ou seja, a tratar de discos voadores e ETs, tendo publicado inclusivamente um livro em que afirma ter sido raptada e salva três vezes por extra-terrestres.

Infelizmente, este tipo de argumentação – que nada tem de científico, muito menos de lógico – tem grassado na sociedade, promovido pela circulação de mails e pelo sensacionalismo de alguma imprensa (é tão fácil mistificar títulos de artigos ou “caxas”!!).
Mais um feto morreu de uma grávida vacinada contra a gripe. Todos os anos
em Porugal morrem 300 fetos. Quase um por dia. Com o aumento da vacinação, mais serão os casos em que a gestante estava vacinada (o ideal era 100%), mas daí a tirar qualquer relação causa-efeito...

Se desejar pode ver mais argumentos sobre a vacina anti-gripe, aqui.

6 comentários:

Sara disse...

Dr Mário
Nós pais andamos muito preocupados, não somos médicos...mas somos pais...diga-me um criança saudável não precisa apanhar a vacina da gripe sazonal ,precisará apanhar a da Gripe A?
Qual a razão real para esta vacina não ser dada em outros países?
Bom fim de semana

Mário disse...

Como já escrevi na Entrada abaixo, são duas gripes similares, só que uma com uma dimensão muitíssimo maior do que a outra. Mas as pessoas de risco deverão fazer as duas.
Quanto à escolha da vacina, depende dos respectivos programas de vacinação, e isso já aocntece com todas as outras, que os pais fazem e acerca das quais não se questionam...

Princesa disse...

A primeira coisa que pensei foi: E quem me garante que as legendas correspondem ao que diz? :) Afinal correspondem... Isso é que é preocupante... ;)

António disse...

A partir do momento em que a Srª faz parte de uma organização não científica, nesta sociedade actual, perde automaticamente a credibilidade. Basta afirmar numa fonte qualquer que a Srª teve um acidente e ficou maluca.
Para duvidar da tese desta Srª ou duvidar do acidente é igual. Mas acredito que a Gripe A é de origem criminosa.

É muito fácil, para o cépticos e derivados, de assumir que este tipo de gripe já existia mas só com a evolução da tecnologia é que a detectaram e criaram a vacina. Se o ser humano sempre conviveu em grandes comunidades, chegando a co-habitar com animais em condições hoje consideradas desumanas, dignas de um cenário do 3º mundo, e nunca surgiu tal pandemia. Juntando o facto de outras doenças que têm uma periodicidade e impacto maior, como tuberculoses, hepatites...
Agora a gripe A mata "meia dúzia" de pessoas e é quase obrigatório ser vacinado!!! Devem estar loucos!

Por Favor arranjem é medidas para acabar com negócios que sejam de origem criminosa, que arranjam problemas já com a solução.

Hoje em dia ao conseguir arranjar um problema as pessoas é a melhor forma de começar um negócio. E como já existem muitos problemas criados por empresas e instituições mais fácil ainda é abrir um negócio! Vamos ser criminosos é a melhor solução para sair da dita crise! Deixem de ser bonzinhos que assim não inovam.

Como num outro exemplo, os telemóveis de nova geração! Ao comprar um já sabem que mais tarde iram ter de substituir o ecrã ou a bateria! Em vez de meterem um seguro contra todos no telemovél, mais vale comprarem um pack de 2 ou 3 ecrãs no pela net que sai mais barato e pode ser o telémovel dure mais de 3 anos. É que já se vendem em separado! Pronto estou a perder fundamento com este exemplo, mais vale que ele se estrague que assim sempre posso comprar outro telemóvel caríssimo. Esses senhores foram atenciosos ao ponto de pensar que depois de algum tempo eu quero trocar lo por um melhor. É pah, obrigado!

Eu não me vou vacinar nem aos meus familiares. Lembrem se que para um edifício ruir ele tem de estar danificado. Alimentem se bem e de forma regular e de base variada. algum exercício regular e um bom descanso talvez durem até aos 100 anos.
Bem haja para todos!

Mário disse...

António
Para mim, que foi quem escreveu a Entrada, a Srª não fazer parte de uma organização não científica não a desacredita, embora tenha o direito de ser algo céptico quanto a ser-se raptado três vezes por extra-terrestres.

O facto de ela ter tido um acidente e ter sido demitida (ou forçada a sair) é um facto, não uma opinião, confirmada por colegas meus finlandeses.

Esta estipe de vírus influenza já existe... desde 1918. A última vez que nos visitaram foi em 1976.

Quanto a pandemias, desculpe mas houve muitas, designadamente a de 1918 (Espanhola) que provocou mais de 60 milhões de mortos na Europa... se acha que não é muito...

Ninguém obriga ninguém a vacinar-se, pelo menos em Portugal. Só que, no que respeita a crianças, há uma responsabilidade sobre a vida de terceiros. Também não é obrigado a transportar os seus filhos em dispositivos de retenção (quanto muito pagará uma coima se não o fizer), mas se eles sofrerem um acidente e morrerem de uma causa evitável, como é que consegue dormir no resto da sua vida?

Não sei qual o seu trabalho, mas porventura terá alguma vertente em que, com as dificuldades alheias, a sua firma ou empresa ganhará mais dinheiro... ou não? É que não há nenhuma actividade económica humana que não cresça à custa das necessidades triviais ou acrescidas dos outros...

Quanto aos telemóveis, tem um? Se tem, é incoerente... não tenha. Não alinhe nisso. Seja firme nas suas convicções... ou então não diga nada porque é cúmplice de tudo o resto... ou, última hipótese, faça uma firma que fabrique telemóveis que durem para sempre (e têmo-lo na tv a pedir financiamento ao ministro das finanças para segurar o emprego dos seus trabalhadores e a sua casa...).

Plenamente de acordo com uma boa alimentação e exercício físico. Aí, acertou na mouche.

Abraços

António disse...

Se desde sempre existiram doenças e se o crescimento global tem sido sempre positivo, por mais mortes que façam, penso que os nossos filhos podem morrer seja por uma razão qualquer e não é por não tomar esta vacina que possa pesar na consciência de quaisquer pais por não vacinar as crianças. Se o filho ficar doente decerto que irá ao médico tentar resolver a situação como sempre foi feito, não existe necessidade de ter esta vacina como forma de prevenção muito menos de esta ser obrigatória.

O essencial sobre esta Srª é que mudou a mentalidade que tinha, onde agora ela questiona a razão de coisas como a pandemia sobrevalorizada, demonstrar que o sistema em si não funciona, com isto e com a mudança no rumo da sua própria vida para onde possa tratar questões mais ligadas as pessoas! Se foi raptada por aliens ou se foi iluminada por um ser divino não sei! Ver para crer, certo? Certo, certo é o facto de ela se conseguir sustentar, ter trabalho, pois ela não ficou maluca ao ponto de não conseguir sequer trabalho!

No que toca a pandemias, tem razão! A minha ideia inicial foi ser irónico e dar ênfase ás evoluções destas pandemias.

Ao puxar o assunto dos telemóveis estava a identificar um mal comum tanto no mundo das pandemias e nas actividades económicas existentes. Pois como frisou, não há nenhuma actividade económica humana que não cresça à custa das necessidades triviais ou acrescidas dos outros.
Mas pense bem esses "outros" não deviam ser as necessidades humanas ou deve continuar nas necessidades de fundo económico? A maioria das actividades económicas tem um esperança de vida que talvez durem 50 anos no máximo.

O modelo actual da nossa sociedade parece me equivocado e desactualizado. A competitividade económica exclui o fraco, o que resulta no desemprego, fome e doenças e um todo de reações negativas! Situações que são reais para termos de encarar o futuro como incerto e com medo.

Como eu disse no primeiro comentário, não faço ideia se é conspiração ou simplesmente natural o facto destas pandemias. Certo é que a vida pode ser estruturada de forma a evitar estas situações. Temos de deixar de trabalhar em virtualidades que só alimentam o sistema económico e de medo, este sistema económico deve ser um modelo de avaliação para a nossa evolução e não de sustentação!

Parece lhe pertinente abrir um tema como "Precisamos de um Novo Modelo de Governo?" ou parecido?

Abraço