quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

dos amores de Pedro e de Inês - 3

Tocam à porta
Quem será?
Pedro, talvez,
Que a alegria deste pensar
Me inunde de alegria a mim, Inês,
Pois só pode vir por bem
Quem aí vem.

Tocam à porta.
Será Pedro
Ou talvez não
Ou talvez não.
Teresa, meu Deus
leva as crianças!

Tocam à porta
É ela, a morte
Saiu-me em sorte
É a vingança.
Pedro!
Pedro!
As crianças.
Pedro!

Nada me resta, Pedro, a ti te amo
E não é por Deus, mas por ti que ora clamo

8 comentários:

anareis disse...

Estou fazendo uma Campanha de Natal para crianças necessitadas da minha comunidade carente aqui no Rio de janeiro,são crianças que não tem nada no Natal,as doações serão destinadas a compra de cestas básicas-roupas-calçados e brinquedos. Se cada um de nós doar-mos um pouquinho DEUS multiplicará em muitas crianças felizes. Se voce quiser ajudar é fácil,basta depositar qualquer quantia no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 Voce verá como doar faz bem a Alma,obrigado. meu email asilvareis10@gmail.com

Elisete disse...

O quê que isto tem a ver com o poema desta entrada? Ah! Desculpem! Está lá a palavra “crianças”! Que estúpida que eu sou! Deve ser da febre e do nariz entupido. Ou então é mesmo falta de inteligência. Bem dizia o meu irmão, quando éramos crianças, que eu até não era das menos estúpidas e eu ficava toda contente porque pensava que era um elogio!
Não tenho qualquer tipo de paciência para este género de apelos que, sinceramente, acho completamente arrogantes. Quem é esta senhora para me vir dizer que doar faz bem à alma? Por mim, até podia ser a Madre Teresa de Calcutá! Uma coisa é dar a conhecer dizendo “temos esta carência. Ajudem-nos!”, outra coisa é “ajudem-nos porque isso até é bom para vocês, faz-lhes bem à alma”. Frases feitas! Cada vez mais vivemos disto em Portugal, pelos vistos no Brasil, no mundo inteiro: frases feitas, arrogância, falta de humildade! Estou farta disto!

Mário disse...

Ana Reis - entendo que queira fazer propaganda da sua Campanha, mas poderia ter-me enviado um mail e eu decidiria se colocava até, inclusivamente, uma Entrada sobre o assunto...

Elisete - como a compreendo, quando abro o outlook e surgem-me peditórios e pedinchas... mas não gaste energias.
Já viu que, se à Inês de Castro, quando tocaram à porta, tivesse sido uma testemunha de Jeová em vez dos três assassinos? Há sempre piores sortes...

Elisete disse...

Tem razão! Mas é que fiquei tão irritada!

Sérgio disse...

Esta cena da anareis(dame patronesse ?) faz-me lembrar a cena do filme "L'aventure c'est l'aventure" onde a quadrilha dos bons malandros está em cima dum palanque (em África) a gritar palavras de ordem para a multidão vibrante e excitada, e de repente um deles vem ao microfone e grita que tem para vender um Mercedes, em bom estado, com poucos quilómetros...

Elisete disse...

Mas, Sérgio, neste blogue já houve uma situação assim. Estava-se a discutir a vacina da Gripe A e, de repente, o debate transformou-se num “consultório clínico” do género: “Não sei se vou dar a vacina mas ele está constipado. Devo pôr soro fisiológico?” Gabo-lhe a paciência, Sr. Dr! E peço desculpa, eu não estou nos meus melhores dias.

Virginia disse...

Lindo poema, mano.

Acho que o Livro está mesmo muito atrasado :)

Filipe Snr disse...

Os poemas têm vindo a refinar. É de continuares por esta via mais do que pela prosa (my honest opinion dear Brother)...

Quanto ao resto, verbero quem usa um blogue como o teu para apelos e/ou consultas. Sãp pobres de espírito.