sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

fantasia, desejo ou apenas motivo para ser corrido de deputado?

O deputado do PSD Carlos Peixoto disse esta sexta-feira, em declarações à Rádio Altitude, que quem admite um casamento homossexual pode também vir a aceitar o casamento entre irmãos ou pais e filhos.

5 comentários:

Virginia disse...

Não bate bem da bota.....

Huckleberry Friend disse...

Ontem na TSF até um bispo veio dizer que a comparação era absurda... enfim, que o Pai Natal traga juízo a este representante da nação!

Filipe Snr disse...

Representante da Nação, o tanas!...

Da 'minha' não é concerteza, e mal das nações que são representadas por tipos como estes...

miguel disse...

Bom, em últia análise,na demagogia vale rigorosamente tudo, desde que esse tudo radique num mínimo de lógica. Já não me interessa o que tipos como este podem dizer ou não dizer.

Talvez que se deva reinventar o debate sobre a sexualidade, conceito que, aliás, é vastíssimo.

Mário disse...

Mas se um ministro é demitido por contar uma anedota (de mau gosto, concordo, mas uma anedota) sobre alentejanos e o alumínio, numa sessão fechada, se outro é demitido por fazer corninhos num momento de exaspero, porque é que os deputados não podem ser também demitidos, seja quando chamam palhaço a alguém, quando dizem dislates destes, quando recebem luvas em malas, quando reafirmam a democracia norte-coreana apesar de pedirem "transparência" goivernativa em Portugal, etc, etc? De todos os partidos, note-se!