domingo, 4 de novembro de 2007

o doce sabor do descanso


Há muito tempo que não gozava quatro dias seguidos em paz absoluta, desligado do telemóvel e da net (os meus familiares, amigos e pacientes que me perdoem), das "últimas" dos telejornais ou do "caso Maddie".

Mas confesso estava precisado de me sentir senhor do Tempo (privilégio dos deuses), e caminhar pelos campos nestes gloriosos dias de Outono.

Livros, música, um vinho escolhido criteriosamente, e a companhia de quem se ama.

E como já faz frio, a lareira deu o aconchego e a energia necessária para voltar à realidade do dia-a-dia urbano.

Foi bom! As fotografias atestam-no...

7 comentários:

CresceNet disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Marta disse...

Bom dia!
É sempre bom "tirar umas férias" do dia-a-dia...por mim, como Mãe de paciente, está desculpado hehehe :)
E umas castanhas assadas? Já sabem bem...eu cá deliciei-me estes dias com umas à lareira!
Bom regresso ao trabalho!

Marta Falcão Afonso

miguel disse...

Estas fotos têm um sabor muito grande a um Outono que tarda, e no entanto, são, paradoxalmente, deste mesmo Outono que tarda. O lugar, soube-o hoje, é, algures , perto de Santarém. Conheço-o. Mas , se não conhecesse, diria que a cena se passa mais a norte, e aqueles frutos acastanhados diria que eram ouriços com castanhas que se adivinham apenas. Relvado à parte, o cenário parece saído de um parque de Viseu, num Outono sim,mas mais frio que este.

miguel disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Mário disse...

NOTA
Os comentários "eliminados" eram repetições do mesmo - não se trata de qualquer censura ou de coisas menos próprias afixadas pelos leitores.

Mário disse...

Marta
Castanhas assadas são sempre boas, com geleia de marmelo e abafado ou moscatel de favaios - é uma excelente terapêutica para tudo, especialmente para o cansaço dos dias "úteis".

Marta disse...

Hummmm...já experimentou castanhas assadas com manteiga??? É uma "bomba calórica", mas juro que não se vai arrepender!
Eu cá também vou experimentar com a geleia!
Marta Falcão Afonso