sábado, 1 de agosto de 2009

Travessia




Pequena história
De adormecer?
Não!
Sou mais do que isso.
Quero ser mais memória
do que isso.

Quero ser
Eu próprio,
o fim do dia
Quero ser
O cheiro a sal
A travessia.

Quero ser
A maresia
E o farol
Quero ser
A equação do por-do-Sol.

Quero viver
com ousadia
Até final.

Porque me sei
senhor, deus, rei
por ser mortal



Foto: MC, com Zé, na Praia do Rio Cortiço

2 comentários:

Virginia disse...

Poesia a dois compassos sai ainda mais melodiosa...

Grande companhia...e a inspiração brotou junto ao mar.

V.

Filipe Snr disse...

Já não sei o que dizer. Todos os dias nos brindas com uma pérola e tantas são que já deixámos de ter adjectivos. Apenas: continua!