terça-feira, 11 de dezembro de 2007

era bom...

As árvores, em Belém, convidam-nos a entrar na dança... ou no espreguiçamento.
A manhã está de sol, mas o pior é ter que ir trabalhar... fica o sonho!

6 comentários:

Su disse...

Muito bonita! Passo aqui tantas vezes, tiro tantas fotografias e nunca tinha visto esta dança!

Entretanto, penso que vai gostar disto!

miguel disse...

Conheço bem o local Penso que é junto à réplica do avião do Gago Coutinho. Se assim fôr, o local dá-se mais ao alongamento ( muscular) pós-esforço, do que ao espreguiçamento. É lá que termino os meus domingueiros treinos de 14 km.

manuel teixeira disse...

Ainda esta manhã lá passei, não correndo como o Miguel, mas a andar em bom ritmo.
Passo frequentemente por lá durante os 12Km que regularmente faço quando exercito junto ao rio.
Já tinha notado as belas e complexas formas deste conjunto de árvores, mas como nunca calhou ter a máquina fotográfica comigo...

Huckleberry Friend disse...

É parte de um trajecto que faço de vez em quando: após boleia de uma colega de Paço d'Arcos até Belém, sigo a pé até ao Cais do Sodré, onde me meto no metro. É um esticão agradável, sobretudo nos dias longos e com bom tempo. A brisa do rio, as Docas, o que há de Lisboa voltada para o Tejo (devia haver mais!)... mas tudo ao ritmo do Manel, que julgo ser também o do blogmaster-pai, bem mais pausado do que o do amigo Leal. Abraços para os três!

Mário disse...

Prefiro o ritmo do Manel e do Pedro. Istro de ficar com bolhas nos pés e sofrer que nem um burro, suando que nem um cavalo, com o devido respeito, "não é para a minha idade".

O que me impressionou nestas árvores foi, seja espreguiçanço, seja dança, a sensualidade destes seres vivos, a um tempo eróticos e inquietantes, humanos e monstruosos.

Não é preciso gastar dinheiro ou ir muito longe, para descobrir, todos os dias, elementos novos e atraentes.

manuel teixeira disse...

Tens razão Mário, basta estar atento e saber olhar.